Seja bem-vindo ao site da Clinica Santa Fé

Aberto : 24 horas |
Contato : (86) 2106.8400

Cicatriz de cesárea: soluções para ameniza-la com tratamento no consultório e em casa

Cicatriz de cesárea: soluções para ameniza-la com tratamento no consultório e em casa

É totalmente esperado que a cesárea deixe uma marca no corpo para sempre. O problema é quando essa linha, que deveria ser fininha e clarear com o passar do tempo, se torna espessa ou escurecida, que pode ser resultado de um pós-operatório que não respeitou o repouso ou até da própria genética. “Asiáticas e negras são as mais predispostas ao queloide, enquanto as mulheres mais velhas são menos propensas, já que a capacidade de produzir o colágeno é menor, pois a célula já não está em seu nível máximo de atividade”, conta a dermatologista Valéria Campos, pós-graduada em laser e dermatologia pela Harvard Medical School. Abaixo, a especialista indica os principais tratamentos para cada caso:

QUELOIDE – Resultado da proliferação exagerada de células na tentativa de reparar o corte, deixa a cicatriz muito volumosa, ultrapassando bem a linha da cesárea. A recomendação é fazer sessões de betaterapia (utiliza a energia emitida por elétrons para barrar multiplicação das células) já no primeiro mês após a cirurgia.

CICATRIZ HIPERTRÓFICA – Acontece pelo mesmo motivo do queloide, a diferença é que a cicatriz “respeita” o limite da lesão. A indicação é o laser
ablativo combinado com o não ablativo, que atua na remodelação local melhorando o aspecto da pele, e deve ser feito a cada 15 dias durante 3 meses. Pode ser feito em quem amamenta.

ESCURECIMENTO – Lance mãe de cremes clareadores, como os à base de hidroquinona. Também é possível fazer sessões de laser, associado à vitamina C, para melhorar o aspecto geral da região.

EM CASA

A sabedoria antiga diz que é preciso deixar os cortes abertos para que sequem mais rapidamente. No entanto, o ideal é justamente o contrário. Por isso as tiras de micropore ou silicone são indicadas para usar logo após a cirurgia. Ao comprimirem e fecharem a região do corte, elas contribuem para que as células se reproduzam de forma mais saudável, reduzindo as chances da cicatriz hipertrófica ou queloide.